Bem, solteira aos 30

O fato de estar solteira aos 30 anos levanta muitas questões, mas o pior é que não para mim. A única diferença que sinto é ter um pouco mais de experiência do que tinha aos 20 e com isso menos tolerância com descaso ou falta de interesse. Ah, outra coisa, também me respeito muito mais; um não deixou de ser sofrido e evitado.

Agora aquela famosa tia, cri cri e quadrada, chamada sociedade, aparentemente se incomoda muito com o fato de uma mulher de 30 estar solteira e bem com este fato. A minha meta de vida deveria se resumir a estar casada e bem empregada, só esquecem de citar felicidade nisso tudo.

Minha mãe, pressionada por essa e por outras tias, começou a se sentir mal com isso também. Me questiona como se fosse falta de dedicação ou um erro meu, mas não consegue entender que se não for bom pra mim, não vou fazer, simples assim.

Nasci sozinha e morrerei sozinha, sempre me bastei. Desde que me lembro fui assim, alheia a imposições da sociedade, que não estivessem de acordo com as minhas vontades. Não sou rebelde, só busco ser feliz em todas as minhas escolhas e não aceito menos que isso.

Um homem que possa oferecer o mesmo que eu, gentileza, educação, afeto; ainda me atrair e gostar muito de mim, parece alguém que eu queira passar uma vida. Infelizmente nos dias atuais as pessoas entendem que isso é pedir demais. Inclusive, fidelidade foi tirado da lista por ser algo raro; um absurdo. Não me conformo em ter que escolher qualquer pessoa ou aceitar qualquer coisa; prefiro continuar no relacionamento sério comigo, que anda muito bem, inclusive faremos bodas de pérolas.

Quando penso em aceitar um relacionamento com um rapaz bacana que gosta de mim, só pelo fato de não dever ficar sozinha, me da um arrepio. Isso se chama amizade; gostar da companhia, mas não ter desejo. Amigos tenho incríveis e pretendo continuar guardando cada um com muito carinho. Homem será um só.

Por que a pressa? Quero conhecer o mundo, diferentes culturas, trabalhar com propósito, entusiasmar pessoas, dar um significado maior a minha vida, e encontrar alguém que dê valor a cada conquista dessas não é fácil, nem deveria.

O desespero por encontrar um parceiro para a vida, faz com que não vejamos os detalhes com cuidado, não apreciemos. Nessa confusão e falta de atenção o amor pula a janela e sobram duas pessoas se suportando dentro de um mesmo quarto. Que triste. Não desejo isso pra mim, nem pra ninguém.

Quero magia, noites repletas de risadas, colo pra dormir, papos longos pela madrugada, mensagens, carinho, calor no olhar, abraço apertado e beijo de bom dia. Tudo isso com vontade, com amor. Ser desejada, desejá-lo de volta, enquanto me preocupo com seu dia, do mesmo jeito que ele se preocupa com o meu. Companheirismo, parceria, tesão. Encontrar alguém importante para você, não deve ser tratado como adquirir um carro novo, sem falar que até pra isso precisamos de identificação. 

Por todos esses fatores, entre muitos outros, não espere que eu me sinta mal por estar sozinha; ser feliz é prioridade na minha vida. Espero que aconteça de maneira leve, natural. 

Ah, e mando um recado pro destino, aproveite minha tranquilidade e traga alguém especial, que se encante por tudo isso e por mim.

Vivian Rabello

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: